Skip to main content
Agriculture and rural development

Vodca estoniano IGP

A indicação geográfica (IGP) protege o nome de bebidas espirituosas ou vinhos aromatizados originários de um determinado país, região ou localidade, garantindo que pelo menos uma das fases de destilação ou preparação tenha lugar na região.

Origens

O vodca estoniano IGP é uma bebida espirituosa à base de álcool etílico produzido e obtido a partir de centeio, trigo e/ou batatas cultivados na Estónia, que recebeu a indicação geográfica protegida em 2018.

A Estónia produz vodca há mais de 500 anos. A primeira referência escrita a esta bebida surge em 1485 e consta de uma disposição dos estatutos da Grande Guilda de Talinn. A aptidão especial da Estónia para produzir vodca deve-se ao facto de o país ter conseguido preservar as melhores práticas tradicionais para preparar uma bebida que é motivo de alegria e orgulho para todos os estonianos.

estonian-vodka-400px01.jpg

Ao longo dos séculos, o centeio e o trigo têm sido os principais cereais cultivados na Estónia. Um dos principais fatores que influencia o aspeto e sabor específicos do vodca estoniano IGP tem que ver com o facto de o álcool etílico ser produzido sobretudo a partir de cereais de inverno, com um elevado teor de minerais. O centeio de inverno, que é o mais utilizado para produzir este tipo de vodca é igualmente um dos cereais mais cultivados em modo de produção biológico, o que preserva a sua pureza e a sua autenticidade.

Guinness Book of World Records, 1997

A forte tradição estoniana de cultivo de batatas desempenha igualmente um importante papel no que toca ao álcool etílico produzido a partir desta modesta cultura. Esta tendência, que teve início no século XIX, culminou com a entrada da Estónia no Livro de Recordes Mundiais do Guinness de 1997 (p. 92) como o país cujo álcool etílico produzido a partir de batatas tem o maior teor alcoólico (98 % vol.). Se bem que, atualmente, o vodca de batata seja produzido em quantidades relativamente pequenas, tornou-se um produto característico da Estónia.

Por último, as características específicas do vodca estoniano IGP resultam também da utilização de água de origem estoniana, muito rica em minerais, que contribui para o sabor característico da bebida. O resultado final é um vodca estoniano IGP que conserva o aroma distinto das matérias primas utilizadas na sua produção.

Produção

O processo de produção do vodca estoniano IGP começa com a produção de álcool etílico.

Estonian Vodka brewery

Os cereais são partidos até à obtenção de farinha integral. Não devem ser descascados, polidos ou processados de qualquer outra forma. O único método permitido é a moagem a seco, após o que a 25 % da farinha deve consistir em partículas com mais de 1 mm. Este processo de moagem do centeio ou do trigo para obter farinha integral é o método tradicionalmente utilizado na Estónia para produzir bebidas espirituosas e representa o toque final que faz sobressair o sabor dos cereais. As batatas utilizadas para produção de álcool etílico são lavadas e esmagadas com a casca.

A fase seguinte consiste em esmagar as batatas ou os cereais a uma temperatura de 55-57º C, após o que o puré é submetido a um tratamento térmico entre 80-90º C. Durante esta fase, o puré não deve ferver. Em seguida, o puré é edulcorado a 55-57º C, após o que são adicionados à mistura malte verde, cereais maltados ou outros enzimas naturais. Em seguida, o puré é colocado em tanques de fermentação, nos quais é adicionada levedura, e sujeito a um processo de transformação que dura cerca de 72 horas. O puré fermentado é seguidamente destilado.

A água adicionada durante as fases de edulcoração, fermentação e destilação deve provir da Estónia e ter uma composição química que permita que os fermentos recebam os nutrientes necessários para se tornarem ativos: 90 mg/l (±10 %) de cálcio (Ca) e 20 mg/l (±10 %) de magnésio (Mg).

O resultado é um álcool etílico com um teor alcoólico mínimo de 96 % vol.

Por último, a água potável utilizada na produção de vodca deve ter origem na Estónia e corresponder aos requisitos da Lei da Água. Deve ser água doce que pode ser submetida a um processo adicional de amaciamento através da utilização de filtros de osmose reversa. Os únicos aditivos que podem ser utilizados são aromatizantes produzidos a partir de cereais e/ batatas locais. Se necessário, o vodca pode voltar a ser filtrado.

O vodca estoniano IGP assim obtido é uma bebida espirituosa com um teor mínimo de álcool de 40 %vol. O vodca estoniano tem um sabor suave, é incolor e não tem sedimentos. O seu sabor varia em função das matérias primas utilizadas na sua produção. As batatas dão ao vodca estoniano a sua viscosidade e sabor doce e suave, tornando-o mais encorpado. O centeio torna o vodka mais encorpado e robusto e acentua o seu sabor a especiarias, dando-lhe um aroma subtil, suave e frutado.

Para mais informações

Vodca estoniano IGP– especificações jurídicas

Indicação geográfica

Alimentos e bebidas de qualidade em toda a Europa