Skip to main content
Agriculture and rural development

Gyulai kolbász ou Gyulai pároskolbász IGP

A indicação geográfica protegida (IGP) garante que pelo menos uma das fases de produção, transformação ou preparação tenha lugar na região.

Origens

gyulai-kolbasz-top-image.jpg

Gyulai kolbász ou Gyulai pároskolbász IGP é o nome das famosas salsichas fumadas e curadas produzidas na Hungria. As salsichas devem o seu nome à cidade de Gyula, um dos locais onde são produzidas. São também produzidas em Békéscsaba.

gyulai-kolbasz-horiz03.jpg

As Gyulai kolbász ou Gyulai pároskolbász IGP tiveram origem no canto sudeste da Grande Planície, uma das zonas mais baixas da Hungria. A cultura de cereais e a pecuária têm tradições muito antigas nesta zona, graças ao seu clima continental geralmente moderado. A partir da década de 1880, era também nesta zona do país que os comerciantes que se deslocavam às feiras de gado paravam para um breve período de descanso. Os talhantes e os magarefes tiraram partido desta oportunidade para lançarem as bases das futuras indústrias transformadoras de carne.

gyulai-kolbasz-portraits-jozef-andras.jpg

No nício do século XX, os mestres talhantes haviam já adquirido consideráveis conhecimentos especializados. Um deles foi József Balogh Jr., graças a quem estas salsichas obtiveram, em 1910, o seu primeiro prémio internacional. No entanto, András Stéberl, que em 1912 foi aprendiz na grande empresa familiar de József Balogh, desempenhou um papel fundamental no que respeita à mecanização da produção deste produto. Em 1935 foi a sua vez de apresentar os seus produtos numa feira internacional, onde o seu pequeno par de salsichas Gyulai kolbász ganhou um diploma dourado. András Stéberl fundou o que veio a ser uma das maiores fábricas de transformação de carne na região, produzindo salsichas Gyulai kolbász ou Gyulai pároskolbász e outros produtos à base de enchidos secos.

gyulai-kolbasz-horiz02.jpg

As salsichas Gyulai kolbász ou Gyulai pároskolbász obtiveram a designação de indicação geográfica protegida (IGP) em 2010. Mais de cem anos de prémios nacionais e internacionais comprovam a reputação e a qualidade desta especialidade húngara:

brussels-world-fair-gold-medal-certificate.jpg
  • Feira internacional de Bruxelas de 1910, medalha de ouro, diploma com menção honrosa;
  • Feira internacional de Bruxelas de 1935, diploma de ouro, diploma com menção honrosa
  • Direito de utilizar o emblema do Kiváló Áruk Fóruma (marca de qualidade húngara);
  • Prémio Foodapest de 2000;
  • Magyar Termék Nagydíj (grande prémio dos produtos húngaros) de 2001;
  • Magyar Minőség Háza (marca de qualidade húngara) de 2001; e
  • Prémio especial para o desenvolvimento das exportações de 2001.

A história das salsichas Gyulai kolbász ou Gyulai pároskolbász IGP destaca a combinação bem sucedida de tradições seculares com técnicas e tecnologias modernas.

Produção

hungarian-mangalica-pig.jpg

As salsichas Gyulai kolbász ou Gyulai pároskolbász são produzidas a partir de carne triturada e de banha firme, obtida a partir de cruzamentos específicos de suínos, incluindo os suínos húngaros Mangalica. São também utilizados suínos Hampshire, Duroc e Pietrain e os seus híbridos. A carne é obtida a partir das pernas, espáduas, chispes, diafragmas, lombos e cachaço. A produção baseia-se no método de desossa manual, para remover todos os nervos e preservar a qualidade da carne.

As primeiras fases da preparação (trituração e recheio) são efetuadas mecanicamente e exigem que os principais ingredientes, a carne e a gordura, sejam mantidos frios. Para preparar as salsichas, a carne e a banha são picadas antes de serem adicionados todos os condimentos essenciais: uma saborosa combinação de sal, paprica doce e paprica picante, alho, pimenta e sementes de alcaravia trituradas. Esta pasta é seguidamente introduzida em tripas de intestino delgado de suíno em pares, após o que as salsichas são amarradas na ponta. Quando as salsichas se destinam a ser cortadas em fatias, a preparação é transferida para tripas artificiais permeáveis ao vapor. A fase seguinte consiste em fumar as salsichas, geralmente com madeira de faia. Este processo ocorre ao longo de um período de dois a três dias, num espaço relativamente húmido.

gyulai-kolbasz-horiz04.jpg

Por último, as salsichas são curadas e conservadas por secagem. A fase de cura-secagem demora entre 14 a 16 dias. Segue-se a fase de pós-maturação, durante a qual o teor de humidade do produto embalado se equilibra e a cor se estabiliza graças ao efeito antioxidante das especiarias naturais.

As salsichas Gyulai kolbász ou Gyulai pároskolbász IGP devem ter um comprimento compreendido entre 18 e 26 cm. São vendidas em pares ou em fatias, em cujo caso o invólucro é removido. Apresentam uma superfície ligeiramente rugosa, de cor vermelho-acastanhada, que deixam entrever as partículas de banha. Têm um aroma agradável com notas de fumo e especiarias e devem o seu sabor harmonioso à mistura de especiarias utilizada no seu fabrico.

Para mais informações

Gyulai kolbász IGP – disposições jurídicas

Indicação geográfica protegida.

Alimentos e bebidas de qualidade em toda a Europa